quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL





O agility trouxe-me muitos amigos e amigas de várias nacionalidades.Esta época natalicia mostrou-me isso mesmo com a quantidade de votos de feliz natal que recebi.Em inglês, Francês, Castelhano, e claro em Português.Essa será por certo uma das coisas boas que o agility me deu.Amigos que mesmo distantes e outros mais perto, se lembram de nós e nós lembramos-nos deles.
Por isso e se me esqueci de alguém nesta data, por favor me desculpe e receba os meus votos sinceros de um

FELIZ E SANTO NATAL
Foto enviada pela Meche desde o Peru.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

10 ANOS PASSADOS

Pois é estou no agility á dez anos!Como curiosidade metade deles em Portugal e a outra metade no Brasil.Em Portugal sempre achei difícil o agility se tornar uma actividade canina popular, tendo em conta até o próprio mercado pet,mas no Brasil desde 2001 que acompanho o agility sempre achei e continuo a achar que o agility tem tudo para se tornar um esporte canino de grande projecção.Já perdi a conta de programas de televisão que focaram o agility alguns em horários nobres e em canais de grande audiência.Então porque não descola o agility no Brasil?Porque o numero de praticantes não aumenta ?Serão vários por certo os motivos mas alguns dá para serem encontrados em análise não muito profunda.Primeiro o agility é caro.Vejamos um dono com um cão praticando agility.Tomando como média uma etapa dupla e uma normal por mês e que esse dono more em São Paulo.
Gasolina etapa dupla - 100 reais
Gasolina etapa normal- 50 reais
Inscrições - 108 reais
Almoço - 45 reais
Mensalidade escola - 250 reais
Total temos 553,00 reais sem contar com as deslocações para os treinos. Ou seja maior do que o salário mínimo do país.Sendo um esporte caro jamais poderá ser um esporte de massas.
Então como atrair mais gente para o agility?Se tudo já foi tentado, então falhou, se não foi estamos á espera do quê?
Pela minha parte sinto que cada vez mais a chama que tenho pelo agility se está a apagar.O agility puramente competitivo é bonito mas...cansa e o outro, aquele que atrai pessoas com várias raças,em ambientes descontraidos cada vez existe menos.
Quem sabe 2010 traz surpresas?

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

COPA CBA 2009 - THE END

Agora sim o ultimo post sobre esta Copa CBA 2009.Tivemos 10 etapas de muita luta em todos os graus e categorias e o numero médio de inscritos diz que a Copa CBA é um campeonato todo ele especial.Primeira prova nacional do ano, que desde logo define os pré seleccionados para o campeonato do mundo do ano seguinte e este ano também com o atractivo do grau II dar como premiação uma viagem ao Américas & Caribe no Chile em Março do próximo ano,foram atractivos mais do que suficientes para ser um campeonato muito bem disputado.
No entanto em meu entender algumas coisas deverão ser alteradas para a próxima edição.
-A principal alteração deverá ser o acabar o OPEN II e III e estes graus terem pistas e classificações separadas.A pré selecção sairia do grau III e os vencedores de cada categoria do grau II estariam também na pré selecção.
No actual modelo a grande maioria dos competidores do grau II sente imensa dificuldade nas pistas do OPEN pois na sua maioria são pistas de grau 2,5 para 3.O juiz do grau III e do grau II deverá ser o mesmo que asim poderá diferenciar o grau de dificuldade certa para cada grau.
-Quem começar a Copa no grau II deveria terminar a Copa no grau II concorrendo ao ranking e também ao pódio.
Outra alteração, esta até poderá ser mais imediata seria a criação da categoria iniciante avançado para os condutores do grau II e grau III poderem pôr em pista os seus novos cães.Esta categoria pela experiência dos condutores e pelo trabalho mais avançado que fazem com os seus cães poderia saltar o mesmo do actual iniciante para a categoria mini/midi e os standard poderiam saltar os 55 cm.
Acabou a Copa CBA 2009, vamos preparar a de 2010 com antecedência, tentando que ela seja cada vez mais atrativa e a competição mais justa?
Deêm as vossas opiniões.

COPA CBA 2009

Sinceramente gostei do final desta Copa CBA,Luta até ao ultimo cão em quase todas as classes pelos lugares cimeiros e pelos lugares da pré selecção.Gostei muito da luta no grau III com os competidores que tinham chances reais de vencer a competição a não darem a mais pequena hipótese de erro aos seus concorrentes.Ninguém quis ficar pelo "feijão com arroz" termo utilizado no Brasil para dizer fazer apenas o essencial, mas sim todos correram riscos na busca do melhor resultado.Parabéns a todos, vencedores e vencidos.Nos restantes graus a luta também foi intensa e algumas dessas disputas apenas ficaram decididas na ultima pista de domingo.
Por falar em pista, gostei muito das minhas pistas e gostei muito também de todas as outras. Do Eugénio, do Dan, que também desenhou as da Conny, dos nossos julgamentos e do julgamento da Conny.Para mim e termos de arbitragem foi dos fins de semana mais perfeitos a que já assisti.Parece que a Conny irá regressar á Europa no próximo ano, uma pena, pois iria ser muito aproveitada por aqui por certo.Parabéns Jorge pelo trabalho aí no Rio com os novos árbitros.
Por isso fiquei satisfeito. Para o fim de semana ser perfeito o Carlinhos,sobrinho da Betina que os meus amigos Portugueses conhecem,também ele neto de Portugueses, homenageou no domingo o meu F. Clube do Porto, o melhor, entenda-se não o maior, clube de Portugal.Entre muitas coisas que sinto saudades do meu país por certo o ver ao vivo um jogo do meu Porto, é uma delas.
Obrigado Carlinhos.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

GRAU 1-2-3-4-5 ...........

Estamos a duas provas do final do ano de 2009 o que equivale a dizer fim do primeiro semestre da época 2009/2010.Ou seja tivemos o segundo semestre da época anterior, mundial,Américas & Caribe campeonatos nacionais , estaduais etc etc. Não sei ao certo quantas provas foram,mas foram muitas.Pela minha parte se não julguei, estive na secretaria e como espectador na grande maioria delas.Por isso estes 40 dias sem provas vão ser muito bem vindos.Atrevo-me a dizer que para a maioria dos competidores, juizes, membros da secretaria e porque não os cães, estas férias vão ser muito boas.Este será por certo se não o ultimo um dos últimos posts deste ano.
Vou então falar de algo que já no passado eu falava.Para a FCI o grau 1 é uma prova onde a obtenção do Exc Zerado é o principal objectivo.Com três Exc Zerados a FCI "atribui" a caderneta de agility á dupla passando esta a competir no grau II.E aí acaba para a FCI os graus, ou seja ela nos seus regulamento prevê o grau I como classe de obtenção de caderneta de trabalho e com esta o competir no grau II inclusive no mundial.Claro que o mesmo regulamento diz que cada país filiado á FCI poderá " adaptar " esse regulamento ás suas necessidades e realidades.
Por isso apareceu em alguns paises o grau III e aí começa o problema para os juizes.
Quem está no grau I, acha que as pistas devem ser fáceis de maneira a passarem ao grau II e quem está no grau II pensa da mesmissima maneira para passar ao grau III.Ou seja tem de ser fácil, só que depois a maioria tem enormes problemas para competir nos graus mais avançados.
E para os juizes é um quebra cabeças de cada vez que tem de julgar, pois as suas pistas têm de ser de acordo com o grau em disputa,e piora e muito se julga mais de um grau no mesmo dia.Com três juizes habitualmente a julgar as nossas provas já ouvimos dizer, a pista do grau II era mais complicada que a do grau III e a do II era mais fácil do que o I e por aí vai.
Por isso eu sou adepto de que o grau III apenas deveria existir em competições onde estivesse em causa a classificação para seleções com vista a provas internacionais e nas restantes competições todos deviam competir no grau II.Claro que para quem defende os pódios e as medalhas em detrimento de obtenção de mais aprendizado, por certo me estará a xingar a esta altura,mas pelo menos dá para pensar um pouco. correndo-se de contrário o risco de brevemente aparecer o grau IV, grau V e aí sempre quero vêr o que vão os juizes ter de inventar para satisfazer gregos e trioanos.
Por tudo isso bem vindas as férias, agiliteiras claro, sem que antes aconteça a final da Copa CBA este fim de semana.Boa sorte a todos e a nós que estaremos a julgar.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

COPA PAULISTA - GUARULHOS - Chuva

Pois é parece que vamos ter chuva todo o próximo fim de semana.Domingo dia de Copa Paulista em Guarulhos com piso de saibro.Essa mistura de terra e saibro, com chuva, vira um lamaçal só.
Não quero nem imaginar como vai ser.E como vão ficar os dogs e os carros?Sinceramente também eu já me desabituei a provas de aglity á chuva.Quem pensa que no Brasil é só sol e calor por certo não sabe que São Paulo faz parte do Brasil e aqui chove e muito.Como estarei a julgar três das provas do dia já vou começar a preparar a roupa de chuva.
Pensando nisso e lembrando algumas provas disputadas á chuva não só em Portugal como em Espanha, lembrei-me de uma muito particular disputada em Moãnha, Espanha e com um piso similar ao de Guarulhos.A meio da prova já só se via lama e alguns condutores davam um autentico show de equilibrismo, alguns, que o Felipe Vilhena conduzindo o Border Clif deu uma derrapada na reta final e caiu de costas no meio da lama. O Clif parou e faltava só um obstáculo para terminar e o Felipe no chão tentado indicar ao Clif o ultimo obstáculo mas a voz não lhe saia pelo "trambolhão" que acabava de ter levado.O Clif entendeu e saltou o ultimo obstáculo e felizmente tudo não passou de um susto e de uma história para contar de um condutor , juiz e amigo Felipe Vilhena e de um cão que deixou a sua marca no agility Português.
Esperemos que em caso de chuva tudo corra bem no domingo.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

JUIZES DO MUNDIAL 2010 - ALEMANHA

Já são conhecidos os juizes do próximo mundial. São eles:

Sabine Mac Nelly - Alemanha
Nalle Jansson - Suécia

Neste site podem encontrar algumas pistas deles: www.eifertanna.com

Não dá para vêr um estilo apenas algumas angulações curiosas e não muito usadas por cá.

Prometo pesquisar um pouco mais.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

AMÉRICAS & CARIBE - CHILE 2010

Aberto o site do Américas & Caribe Chile 2010, ficamos a saber o nome do juiz, ou um dos juizes, do evento.Pela lógica será o que julgará as provas mais importantes.Trata-se do Croata Alen Marekovic.Juiz de larga experiência com pistas muito técnicas.
Deixo aqui alguns exemplos para que aqueles que pensam em competir possam começar a treinar.











































segunda-feira, 16 de novembro de 2009

COPA CBA - AGILITY


Nunca tinha tido uma percentagem tão elevada de eliminações nas minhas pistas como ontem.Sempre que tal acontece a culpa é do juiz.Eu não fujo á regra e não fiquei feliz com o acontecido mas encontro algumas atenuantes.Em primeiro lugar a Copa CBA, embora disputada por duplas dos graus II e III,é uma competição onde este ano se apura a pré selecção para o mundial 2010 e onde se apuram as três melhores duplas do grau II para participar do Américas & Caribe 2010.Perante isto e deixo bem claro que desde o inicio desta copa não me agradou essa junção do grau II e III, para esta penúltima etapa, desenhei uma pista um pouco mais trabalhada técnicamente.O primeiro obstáculo de zona , a passarela, com a posição do obstáculo 2 "obrigava" o cão a chegar á zona de descida com o condutor em movimento e com a sequência seguinte, algumas faltas e até eliminações aconteceram.Seguia-se a sequência 8-9 e quem a abordava com o condutor do lado do slalom tinha muitos problemas.Depois de passado o slalom e o tunel vinha a Rampa A 14 e o tunel 15.Aqui houve várias conduções pelo lado do slalom e pivot na frente da Rampa A ou condução de frente para o tunel.Aqui houve várias eliminações, a maior parte delas pelos condutores pararem muito perto do duplo deixando pouco espaço para o cão.
Seguia-se o muro, gangorra e out -16-17-18.Talvez por causa do out o cão era "abandonado" no muro e assim algumas telhas cariam e faltas fora assinaladas na subida da gangorra.
Ficou uma pista mais com cara de grau III que de II e por isso os cães do grau II tiveram a maior fatia de eliminações da pista.Para mim que acompanho o esport em todas as provas nos últimos tempos priorizou-se a velocidade á técnica e control.E velocidade sem control e sem técnica é igual a eliminação.Á algum tempo que venho a falar nos fundamentos em detrimento de alguma velocidade.Não me considero satisfeito pelos resultados mas de vez em quando é bom acontecer algo assim para todos podermos repensar o agility e ou a arbitragem.
Dentro das boas regras , sintam-se á vontade para comentar a pista.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

121 - RECORD

Não , não é de inscritos nas etapas da Copa CBA, mas de emails que eu recebi e tive de responder ou encaminhar desde o dia 9/11/2009 até hoje 13/11/2009 15:19 , sobre inscrições anuidades, duvidas, pagamentos etc, tudo sobre as etapas da Copa CBA deste fim de semana.
É muita coisa.A secretaria e todas as suas funções cada vez vai estando mais computadorizada o que nos dá cada vez mais tranquilidade nos dias das provas, mas a semana que as antecede é um martírio.
Eu o Zé Ernesto o Augusto e também o Fabiano, quase que estamos online oito horas por dia.
No fundo é bom de ver toda essa união na preparação de mais uma etapa, dupla neste caso, e ver que na realidade as coisas funcionam.
Agora serão dois dias de secretaria,cronometro, julgamento e acabamos sempre da mesma maneira, cansados mas contentes de colaborar com um esporte, como acho graça a esta palavra, que tanto gostamos.
Computa Zé, cronometra Augusto eu ajudo um pouco e ainda vou julgar e claro a nossa SECRETÁRIA Cibele que sem ela a prova não é a mesma, nem que o Gustavo ponha uma peruca.
Abraço pessoal da secretaria.
Até amanhã se Deus quiser.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

COPA CBA - FASE DECISIVA

Começa este fim de semana a fase decisiva da Copa CBA, cuja pontuação determina a pré selecção para o mundial 2010.Das quatro ultimas esta estas serão as duas primeiras.Aí começam as contas dos dois descartes, do que os juízes/condutores vão ter de média para acrescentar etc.
Estar na pré selecção é fazer parte do grupo dos melhores, no momento, e por isso meta de muita gente, mesmo, alguns, sem intenções reais de estar no mundial de 2010.Pelo menos estão na pré selecção e poderão participar dos treinos que vierem a ser marcados.Tem também a vitoria nos vários rankings das diversas categorias e graus e ainda no grau II a viagem ao Américas & Caribe 2010.Por isso esta semana e até 12 de Dezembro, data da penúltima etapa, muitos treinos vão acontecer com exercícios que os juízes que julgarão as provas open gostam de utilizar, já que no dia 13 será a etapa final.Cada ponto vale e cada erro pode custar muito caro.Pela minha parte adoro julgar essas decisões.Sentir a tensão dos condutores, ver as suas conduções contra os nossos exercícios ali dentro da pista é uma sensação muito boa.
Por mim só tenho desejar boa sorte a todos inclusive a nós árbitros.
Já agora podem treinar slalom debaixo da rampa A, casa por baixo da gangorra e tunel por cima da passarela.
Quem sabe?

Abraços

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

II COPA SÉRGIO DE CASTRO

Nome dado ás selectivas a disputar pelas duplas de grau II e grau III,com inscrições abertas condicionadas apenas á participação de x numero de provas estaduais ou nacionais poderá e deverá ser uma festa do agility Brasileiro. Composta de quatro agilitys e quatro jumpings distribuídos por dois dias sem descarte e com pistas diferentes para os mini e mini/midi e standard e com os vencedores de cada categoria a terem a sua vaga na seleção Brasileira para o mundial 2010,irá por certo ser um grande fim de semana de agility de muitas disputas e muita emoção.Será também o momento de condutores de outros estados poderem mostrar o seu trabalho e quem sabe provocar alguma surpresa.Para quem como eu sonha com campeonatos estaduais cada vez mais fortes e grandes finais nacionais,o tamanho geográfico do Brasil torna um campeonato Brasileiro de uma actividade amadora como o agility algo muito injusto e dispendioso,esta II Copa Sérgio de Castro será como que um aperitivo.Espero que os condutores de outros estados se possam organizar e prestigiar com a sua presença.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

INICIANTES

A ideia sobre parte deste tema foi do Fabiano e ao pensar na ideia dele de repente.....

Lendo o regulamento desta categoria, achei interessante a parte que fala das alturas dos obstáculos:
" As alturas dos altos simples serão: Mini/Midi no MÀXIMO 35 cm de altura
Standard no MÁXIMO 50cm de altura.
A CBA SUGERE que os juízes variem as alturas dos saltos da categoria standard entre 40 e 50 cm, sendo permitidos apenas 4 saltos na altura 50 cm "

Isto levanta algumas reflexões por parte dos interessados sejam proprietários, treinadores e principalmente veterinários.
A altura normal da categoria mini pode variar de 25 cm a 35 cm.Então o regulamento permite que um cão MINI salte o máximo para a categoria em prova oficial ou seja os 35 cm.Hoje utiliza-se no iniciante mini/midi a altura de 25cm.
Esse mesmo regulamento já não permite que se utilize as medidas máximas para o midi .Permite máximo 35cm para o midi ,contra os 45cm das provas oficiais .
Ou seja um cão mini no iniciante "pode " saltar o máximo e um cão midi não pode.
No standard ainda a confusão é maior já que diz " NO MÁXIMO" 50 cm de altura.
Ou seja um juiz pode colocar desde o inicio todos os saltos em 35cm de altura e vale para todos.
Isto porque a CBA "SUGERE " e não "OBRIGA" a utilizar de 40cm a 50cm.
Pois bem também no standard "NÂO" é permitido um cão saltar o máximo da sua categoria em provas oficias ( de 55 a 65 cm ).
Então pergunto.Porque no mini tal é permitido?
Porquê um cão standard só pode executar 4 saltos na altura de 50 cm , abaixo do mínimo da categoria e um mini pode fazer todos na altura máxima?
Por certo, principalmente os nossos veterinários, irão dar aqui opiniões muito válidas e esclarecedoras sobre este assunto.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

5ª e 6ª ETAPAS DA COPA CBA

Para quem realmente gosta de agility, independente de quem o pratica ou a escola que representa, este fim de semana a exemplo de alguns outros, foi de um prazer enorme assistir.Começando pelos juízes e suas pistas foram todas muito boas e os julgamentos também.Augusto e Henrique no iniciante e grau 1 e Paulo e Zézinho no Open, apresentaram pistas técnicas mas bem fluídas e que nos presentearam com grandes disputas pela vitória final.Hoje no Open temos um grupo de uns vinte cães onde tudo pode acontecer.Qualquer erro é fatal.
Começando pelo jumping tínhamos sempre cerca de dez duplas zeradas para o agility e mais alguns com faltas mínima de tempo fruto dos 10 %.
Pois o que eu gostei mais foi que toda a gente foi para cima no agility em busca do melhor tempo e por conseguinte da melhor classificação.Ninguém se encolheu á espera do deslize de terceiros e isso motivou um fim de semana espetacular de agility.
No grau 1 muitas duplas estão a aparecer e logo se vão transformar em excelentes duplas.
E o que dizer do iniciantes.Petacular como diz um amigo meu. Cerca de vinte duplas que serão por certo o futuro do agility.E a maneira como se entregam á competição?Parece que estão a disputar um titulo a cada prova.
Parabéns a todos e obrigado pelo óptimo fim de semana.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

ESTILO E TRABALHO DE CASA

AGILITY INDIVIDUAL MINI
AGILITY EQUIPAS MIDI
Já por várias vezes e em diversas ocasiões disse que cada juiz tem tendência a criar um estilo próprio nas pistas que desenha.É comum e é quase como a assinatura do juiz.Por isso é mais ou menos fácil estudar esses "gostos" dos juízes e teiná-los.Quase sempre esses gostos ou exercícios estão lá no dia da prova e geralmente quem fez o trabalho de casa acaba por ter alguma vantagem.
As duas pistas de cima são do mesmo juiz e são do ultimo mundial.Ou seja num mesmo fim de semana ele repetiu várias vezes um exercício que pelos vistos é muito do seu agrado.Repetir tantas vezes em duas pistas em um mesmo evento,isso já não será tão habitual,mas pelos vistos ele manteve-se fiel ao seu estilo Ambas as pistas são a meu ver bastante bonitas e técnicas.Quando em pistas como estas se busca o baixar de um segundo que seja, o " exercício " que vamos analisar é por vezes complicado.
Na pista de cima - agility individual mini - o exercício está em: 1, 2, 3, 4 - 7, 8, 9 - 17, 18, 19.
Na pista de baixo - agility equipas midi - o exercício está em: 1,2,3,4 ( coincidência ? ) - 6,7,8 -10,11,12.
Este fim de semana temos Copa CBA com os juízes Paulo Prado, Augusto Ferreira, José Luís Filho e Henrique Garcia. O que treinaram de cada um deles?

VOLTEI

Sinceramente não sei se voltei ou se apenas é uma tentativa final para não deixar de escrever de vez.O ser humano é uma coisa muito complicada.Para muitos o mundo é o seu umbigo, o grupo de amigos, o clube de eleição e até a religião que seguem.Quando somos distraídos com o que nos rodeia por vezes não damos conta das transformações á nossa volta.Fazemos tudo mecânicamente e muitas das vezes sem pensar duas vezes.Somos humanos e por isso erramos.O difícil é admitir os erros e aprender com eles.Aqueles ou aquelas que o fazem são invariavelmente vencedores.
No agility não é diferente.
Meu intuito sempre foi o de pelo menos lançar á discussão de toda a comunidade algo para a melhoria de um desporto que muito gosto, seja ele na vertente , condução, arbitragem, organização.Se isso incomoda ou incomodou alguém paciência.
Façam melhor que toda a comunidade agiliteira agradece.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

TEÓRICAMENTE FALANDO

As analises os vídeos as estatísticas do ultimo mundial estão por essa internet fora.Continuando nessa viagem algumas perguntas teimam em ficar sem resposta.No entanto por vezes é nos pormenores que encontramos a resposta e outras vezes pelo menos meia resposta.
Claro que tudo são teorias,mas não são as teorias que desenvolvidas trazem avanços enormes seja em que área for?
Pois bem dei comigo a pensar no seguinte.Teóricamente qual a prova principal de uma competição de agility? O agility é claro teóricamente mais difícil do que o jumping.Por isso ele aparece nas grandes competições como a ultima prova do combinado, teóricamente para aí separar o trigo do joio.Por muito experiente que seja uma dupla, enfrentar um agility na decisão não será o mesmo que enfrentar um jumping.Teóricamente será assim.Aqui no Brasil fazemos exactamente o contrário e decidimos 99% das competições com o jumping.Será por isso que as nossas duplas se sentem tão á vontade nos jumpings e menos nos agilitys?Claro que há excepções mas são poucas.
Será isto uma teoria ou não?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

ANALISANDO

Analisando um pouco algumas pistas do mundial, encontrei, penso eu agility times standard, a sequência que trago, mais ou menos, representada nesta foto.Claro que a numeração apenas serve para verem a sequência dos obstáculos.Para mim uma sequência bem técnica mas muito bonita e que causou alguns estragos.
Dei comigo a pensar na conversa que tivemos eu e o Eugénio no Parque do Carmo onde falamos da necessidade de as nossas duplas trabalharem mais na largura da pista.Parece irrelevante mas não é.Com maior largura podemos fazer este tipo de sequência nada habitual nas nossas pistas.Falamos na altura que quando fizesse-mos provas em locais públicos devíamos pedir as medidas de 40 x 30 e testar estes tipos de pistas.Aqui só trabalhamos 90% no comprimento da pista. Eis algo para analisar em conjunto.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

MUNDIAL DOS OUTS

Apenas não consegui vêr a pista de jumping mini times.Em relação a todas as outras uma coisa é certa.O OUT é do gosto geral dos árbitros europeus e não só.Dizia o Luís Narciso na sua ultima deslocação aqui ao Brasil que se tinha de inventar um novo obstáculo e ele foi inventado . O OUT.
Foi OUT para todo o gosto e feitio e com as mais variadas angulações.Definitivamente o OUT veio para ficar. Eu pessoalmente gosto do OUT ainda mais quando ele é bem executado.Outra sequência muito utilizada foi o salto cego.Quando depois de se fazer um salto se tem de chamar o cão geralmente pelo meio e fazer o salto seguinte do lado contrário.Estas sequências não são fáceis ainda para mais quando 1 milésima de segundo pode fazer a diferença.A mesa só apareceu em uma pista, agility mini equipas penso eu, e acho que foi para fazer a vontade ao fabricante da mesma, pessoa muito influente.Das angulações diferentes nós já havia falado em post anterior.Temos de estar atentos a essas alterações na europa durante o ano.No entanto de tudo o que falei anteriormente não podem os nossos competidores se queixarem porque tudo isso os nossos árbitros fizeram durante o ano.
Duas coisas me chamaram a atenção.A primeira foi algumas angulações do salto em comprimento e do salto duplo.Continuo sem saber afinal o quer dizer a FCI no seu regulamento, já que lá diz uma coisa e depois aparece outra.A segunda são os tuneis por baixo da ramp A e da passarela.Se na rampa A ele sempre esteve colocado na sua extensão ou seja entra e saída de lados opostos, normal, já na passarela ele estava em U nada normal para um mundial. No desenho parece que estavam as duas bocas bem afastadas da passarela mas não deixava de ser um obstáculo onde não era dada a hipótese de refugo, situação defendida em regulamento e gidelines da FCI.
Em geral gostei das pistas , cada vez mais para cães com trajectória muito muito muito curta.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PERU II

Reparem nesta familia canina.Os dois dos extremos são a mãe e o pai dos três machos do meio.
Pela foto já dá para vêr que os três filhotes são muito parecidos mas ao vivo ainda são mais.Como saber quem é quem quando entram em pista, pois todos eles competem na mesma categoria.Lá como cá brincam quando um vai bem dizendo que se trata do mesmo que já havia competido e assim já sabia a pista.Aí lembrei-me dos Jacks do Cão Bala e das nossas brincadeiras no mesmo tom.Até nisso o agility tem uma linguagem universal.
Não sei mas devem ser filhos da mesma ninhada e acreditem são minis apesar da aparência.Tem uma pata muito curta e um pescoço muito longo.
Até hoje não sei quem entrou no lugar de quem.Para mim era sempre o mesmo.
Brincadeira.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

2º ÁRBITRO OU ÁRBITRO DE SUBIDA DE PASSARELA



Iniciamos este fim de semana ,a titulo experimental na Copa Paulista, o 2º árbitro ou árbitro de subida de passarela como preferirem.Essa função é em primeira impressão meio estranha, já que se destina a um único ponto do circuito.No entanto como podemos ver ela pode ser estendida a obstáculo(s) que se encontrem próximo.Fiz as duas funções, de árbitro secundário e de árbitro principal.Como árbitro secundário pude dar conta de que o nosso posicionamento, parado, naquele local nos dá uma visão totalmente diferente de quando árbitro principal , geralmente em andamento.Na foto ao lado, o cão pisou bem no inicio da zona e este é o segundo passo.Fracção de segundo e perspectiva óptica difícil de ver em andamento.Por certo uma falta seria assinalada sem ter ocorrido.No inicio é um pouco estranho estar ali parado, mas rapidamente nos habituamos a esta nova função.
Como árbitro principal simplesmente adorei.
Conseguimos estar muito melhor posicionados no restante do percurso,sem correrias nem passo apressado e com isso fazemos melhores julgamentos.Talvez por isso as faltas de descida de passarela e a rampa A e gangorra tenham sido maiores este fim de semana.
A opinião do árbitros deste fim de semana foi unânime em relação a este tema.Alguma estranheza na função de segundo árbitro mas muito melhor para o árbitro principal.
Uma certeza.Com isto ganha a verdade desportiva.
Por mim 100 % aprovado.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

PERU

A viagem ao Peru correu muito bem sob todos os aspectos.A cidade de Lima, um pouco diferente do que estamos habituados pois não tem muita construção em altura, tem uma beleza própria de quem preserva o passado sem esquecer o futuro.Pontos para visitar são inumeros.O céu geralmente cinzento engana o mais incauto e eu fui um deles e apanhei um belo de um escaldão.
Uma das coisas que mais me marcou foi o cambio de dinheiro em plena via publica com o carro parado em segunda fila.Não dá para acreditar.No agility tive o prazer de julgar as provas com maior numero de inscritos ( 62 ) realizadas até hoje.Lá o grau I compete sózinho e depois em um open juntamente com o grau II, o que faz com que o numero de entradas seja alto.O campo em grama natural era muito bom e é a unica escola com pista própria. Localizado num amplo espaço verde, mas ao mesmo tempo muito sossegado, tinha as habituais barracas das escolas e tendas montadas com cadeiras para o publico, uma obrigação de regulamento.A minha auxiliar nos dois dias foi a Mercedes Sanchez, uma peruana que alguns Brasileiros conhecem já que ela fez a banca de árbitros de 2004 aqui no Brasil e passou.Infelizmente aspectos internos do Kenel Club Peruano a impedem de exercer a atividade de árbitra de agility.Para ela o meu muito obrigado pela grande ajuda que meu deu.Na secretaria o seu marido Sérgio comanda as provas e com a experiência que vai tendo com certeza em um futuro próximo o agility Peruano também vai estar todo informatizado.As duplas e os cães.Foi como que uma viagem muito gostosa ao passado.O Peru tem condutores com muita capacidade e cães muito novos de qualidade.Ou seja os Border novos , muito rápidos estão a aparecer no lugar dos pets, goldens,labradores, pastores e até cão sem pelo do Peru, uma figura que vos falarei em outro lado entre outras raças.Todos sabemos que geralmente os primeiros Border são treinados para velocidade e assim perdem algum control e abrem um pouco as trajectorias.Essa é a fase de passar dos Pets para o Border Collie. No entanto alguns deles já se destacam ente eles um Border, Mirage do Hundewelt muito bom e com um condutor a mostrar já entrosamento com essa realidade chamada Border Collie.Para quem como nós está habituado a julgar 90% ou mais de Border Collie, julgar exatamente o contrário foi uma delicia.As minhas pistas como não podia deixar de ser eram rápidas fluidas e sem " armadilhas " e penso que proporcionaram um espetaculo muito bonito.
Já não me lembrava de um fim de semana de agility tão gostoso,com gente muito simpática, aliás gente simpática é o que não falta no Peru.
Só tenho de agradecer a todos a maneira como fui tratado, em especial ao meu amigo Gustavo Villavisencio pelo convite e por todo o apoio e amizade que me deu durante a minha estadia.
Quem sabe não voltarei lá um dia para vêr a nova realidade do agility Peruano, que o Brasil de alguma forma está a ajudar a acontecer.
Um grande abraço a todos os agiliteiros do Peru.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

DEZ DIAS

Começa esta madrugada a contagem de dez dias em que irei viver o agility de várias maneiras.Se Deus quiser este fim de semana estarei a julgar no Peru.Minha primeira visita a este país e consequentemente meu primeiro julgamento lá.Vi alguns videos do agility Peruano, troquei informações com o Eugénio e assim penso ter desenhado pistas que vão ser do agrado dos competidores Peruanos.Essa é a minha função , ajudar no espetaculo/competição.Quando regressar na terça feira estará o mundial a poucas horas do inicio.Haja coração para receber as noticias.Estou confiante em bons resultados, mas não escondo que o que eu gostaria mesmo era de um pódio individual.Existe potencial para isso,vamos ter fé.
Nos dias 19 e 20 vão acontecer as 1ª e 2ª Etapas da II Copa Paulista de Agility que vão decorrer no Parque do Carmo em São Paulo.Parece que o agility começa a sair das escolas e ir de encontro ao grande publico.Como eu adoro estas provas em lugares públicos.Lembra-me os meus inícios no agility em Portugal.Irei estar a julgar nesse fim de semana também e juntamente com o Eugénio iremos orientar a nova aplicação do 2º árbitro na subida de passarela.Pelo que pode constatar iremos ter pistas espetaculares que vão dar um bom espetaculo ao publico presente e agradar aos competidores.
Quem sabe festejamos juntos o sucesso do mundial?

terça-feira, 1 de setembro de 2009

2ª E 3ª ETAPAS COPA CBA

Mais duas etapas da Copa CBA se realizaram este fim de semana na Dog World em Cotia.Esta região ou é muito fria ou muito quente.Este fim de semana foi quente de mais.Quatro árbitros, dois deles da casa , Dan e José Roberto e os dois lindos da foto Augusto Ferreira e Carlos Correia.Dos percursos e dos julgamentos nem vou falar pois toda a gente saiu satisfeita sinal de que os árbitros fizeram a sua função.Debaixo de um calor tórrido e tendo de julgar cada um duas provas seguidas e manter os níveis de concentração evidenciados não é fácil.Como disse o Dan foi um fim de semana petacular.Os lindos da foto tiveram a honra de inaugurar a nova polo dos árbitros de agility Brasileiros.Vão ser duas. Uma nesta côr azul e outra na côr branca.Os logos são da CBKC e da CBA e para os árbitros internacionais o da FCI numa manga.Sinceramente eu aplaudo esta iniciativa de uniformizar os árbitros.

sábado, 22 de agosto de 2009

2º JUIZ OU JUIZ DE SUBIDA DE PASSARELA

A FCI nas suas Guidelines 2009 explica o funcionamento e atribuições deste 2º juiz.A sua função será julgar a subida de passarela até que o cão tenha tocado com as quatro patas na prancha horizontal.Esta situação está indicada na figura acima descrita com a letra A. A orientação dada aos juizes é que não montem nenhum exercício junto dessa subida.No entanto e se montarem um exercício como o da figura B, toda essa sequência será julgada pelo 2º juiz ( 1-2-3-4 ) até que o cão toque com as quatro patas na prancha horizontal.Por certo de inicio isto irá trazer alguma duvida e será interessante que os primeiros testes sejam feitos por juízes experientes.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

FÉRIAS ... QUEM DISSE

Agosto mês de férias de verão na Europa.Por isso noticias de competições de agility quase não há.Preparação das selecções para o mundial que se avizinha e alguns países com novos regulamentos para a próxima época.Portugal é um deles e este ano o regulamento é um pouco diferente.Irá ter dez etapas regulares ( para obtenção de pontuação necessária para estar presente nas finais )Cinco finais com pontuação por EXC zerado ( 2 pontos ) e EXC ( 1 ponto ) e por classificação.Aqui uma novidade discutível .O primeiro classificado receberá pontos iguais a 50% dos participantes e por aí abaixo.Este método de pontuação pelo numero de participantes sempre foi uma faca de dois gumes.Fazemos votos para que funcione bem.Uma coisa é certa e isso já levo mais de dez anos de experiência,seja qual for o regulamento os melhores estarão sempre nos lugares cimeiros.Agora se esses regulamentos tornam melhor a modalidade e a qualidade das duplas ou não, é outra conversa.Até hoje ainda nenhum país achou o modelo perfeito e por isso saúdo os meus compatriotas pela mudança que trará de certeza algo de positivo.
Por também iremos ter algumas alterações no que diz respeito á arbitragem.

A titulo experimental, mas oficial, iremos ter na II Copa Paulista de Agility a estreia do segundo árbitro ou árbitro de subida de passarela.Sobre isso irei publicar um post só informando de como funciona e as atribuições deste segundo árbitro.

Outra medida e esta em todas as provas oficiais.O juiz não poderá mais receber indicações do seu auxiliar sobre o julgamento, indicação das ultimas Guidelines da FCI.Ainda segundo as mesmas Guidelines o juiz terá de arcar com toda a responsabilidade da sua actuação. Eu concordo com esta nova situação pois se alguns juízes acatavam uma informação do seu auxiliar sobre uma barra ou telha que caiu e ele não marcou , outros não o faziam e assim ficava uma situação dúbia.Por outro lado o juiz teria que ter muita confiança no seu auxiliar para receber tal informação pois existe regra escrita que define até onde poderá ser marcada queda de barra ou telha.
Também a partir de agora aqui no Brasil o juiz poderá indicar o seu auxiliar.

Mais informações sobre estes e outros assuntos sobre arbitragem irão ser disponibilizadas em breve no site da CBA agilitybr.com.br.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

CAMPEÕES NÃO SÓ NA PISTA - 2

Infelizmente o ultimo post teve alguns comentários que desvirtuaram o sentido do mesmo.
Compreendo, entendo, aceito que cada um queira ganhar , estar no pódio , dar o máximo de si, tirar o máximo partido possível do seu cão etc etc.O que está em questão é a mentalidade de cada um que irá ditar o preço a pagar pelo fim alcançado.Se a mentalidade for a de um campeão como o David, e muitos outros, por certo o preço , saúde do seu animal, será por certo muito baixo porque ele entende que nem sempre as coisas dão certo apesar de tentar.O importante é que ele continua a usufruir da companhia dos seus cães seja qual for o resultado e ele se divertiu fazendo o que gosta e ama - agility.
Ora se existem pessoas que vão além de uma postura de amor para com o seu cão, vão além dos seus, cão , limites físicos,se apenas os tiram das caixas 5 minutos antes de competirem e os metem de novo lá mal terminam a sua prova, se os castigam após alguma falha,se , se , se , por certo será a consciência de cada um que ditará a sua conduta.
Por certo ficará para cada um de nós que presenciar tais actos tirar a opinião do carater de quem os cometeu, para além como todos têm o direito e o dever de denunciar aquilo que acharem ser condutas que firam os regulamentos .
Felizmente que no agility,mundial, a grande maioria dos seus praticantes pensa como o David.
O Brasil não é diferente do resto do mundo.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

CAMPEÕES NÃO SÓ NA PISTA.

Para muita gente o agility é apenas uma competição.Para outros um divertimento e exercício físico para ele e seus cães.O Agility é divertimento.Desde a sua origem é um divertimento e também competição.Mas porque será que a competição tolhe a mente de algumas pessoas de modo a que deixe de ser divertimento?Será obrigatório que quem compete ao mais alto nível esqueça o divertimento ?
Continuando na linha do post anterior, faço aqui uma ressalva para chamar a vossa atenção do site agiliteiros.com pois tem lá matérias muito boas,li uma entrevista de David Munnings , Inglês 3º colocado individual no mundial de 2005.De toda a entrevista muito boa por sinal vou reproduzir aqui um pequeno trecho.

Agilitynet: Você fica muito ansioso nas provas? Se sim como lidar com isso ?

David Munnings: Eu realmente não sofro disso,(?)comigo tem mais a ver com ansiedade.Eu adoro competir e quanto mais gente assistindo, mais eu gosto,então as finais são o máximo para mim.Eu só tenho que lembrar que eu treinei bem meus cães e o que está à minha frente é apenas um conjunto de obstáculos pelos quais eu tenho de guiar os meus cães.Quando coloco as coisas nessa perspectiva,parece que eu esqueço tudo o resto.No fim do dia,eu fiz agility porque eu amo isso,não apenas para ganhar-embora eu goste muito de vencer!Se deu errado,já foi.
Eu ainda estarei voltando para casa com meus cães,que pensam que ganharam independente do que tiver acontecido,e é isso que realmente importa.

Extraído do site www.agiliteiros.com

Recomendo a leitura de toda a entrevista para conhecerem melhor um pouco um campeão.
Talvez essa maneira simples e sentida de encarar o agility o levou a um lugar de topo do agility mundial.Esse sentimento é muito comum em muitos campeões que conheço,mas infelizmente algo distante em outros.Não tem de se encarar o agility só como uma competição, para se conquistar títulos e reconhecimento.O agility é muito mais do que isso só que algumas pessoas esquecem-se disso.

" AGILITY IS FUN "

Esse é o espírito do agility.Ame-o ou deixe-o

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

OS MANDAMENTOS DO AGILITEIRO.

De repente apareceu na tela do meu computador , agiliteiros .com.Lembrei-me de um site que conheci em 2001, salvo erro da Maria Inês e da Mib, peço desculpa se estou a errar os nomes.Nunca mais vi estas duas agradáveis senhoras e nunca mais me lembrei do site.Pensei que até já não estaria activo, mas enganei-me.Ao ler algumas rubricas do site de repente apareceu-me uma pérola que não posso deixar de reproduzir aqui.

MANDAMENTOS DO AGILITEIRO

-Fazer de cada treino,match ou prova, um momento especial para mim e meu cão
-Sempre respeitar as outras duplas como a mim mesmo,evitando a deslealdade e as agressões nos meus actos e palavras.
-Não privar meu cão de suas refeições ou de suas necessidades básicas visando melhores resultados nos treinos e nas provas.
-Aquecer e alongar o meu cão antes de cada treino ou prova, diminuindo,com isso,os riscos de contusões.
-Não usar de artifícios ou métodos que possam ferir ou causar dor ao meu cão para obter resultados,preservando em primeiro lugar sua saúde e alegria em praticar agility.
-Respeitar as condições físicas, psicológicas e os limites próprios da raça do meu cão.
-Não possuir um cão como objecto para satisfação do meu ego,mas sim como um parceiro e amigo, para prática de um esporte onde o objectivo principal é a diversão e bem estar.
-Não desamparar meu cão quando ele deixar de praticar agility, mantendo-o em minha companhia.
-Aceitar a natureza do meu cão, não o castigando quando prevalecerem seus instintos e não esperando dele mais do que ele é capaz de fazer.
-Aceitar com dignidade a derrota,admitindo que se a dupla não foi bem,não foi o cão que errou e sim eu que não tive paciência, capacidade e tranquilidade para treiná-lo e conduzi-lo correctamente.
-Reconhecer o trabalho do meu cão,seja qual for o resultado, agradando-o muito ao término de cada exercício ou percurso,pois não sei se ele está ali porque gosta ou se porque eu gosto e ele gosta de mim.
-Dar segurança ao meu cão em treinos e provas, mostrando claramente o que eu espero que ele faça e qual o percurso a seguir.
-Ajudar o meu cão nos treinos,sempre com reforços positivos,não usando de outros métodos sob a alegação da competitividade,para ocultar minha incapacidade em buscar alternativas para resolver meus problemas de treino e condução.
-Entender que os títulos são consequência e não um fim a ser alcançado a qualquer preço.
-Ao divulgar o titulo alcançado, citar sempre o nome do meu cão, pois no agility para se conquistar um titulo é necessário uma dupla.

Retirado do site http://www.agiliteiros.com/ equipa agiliteiros .com

Não sei se a autoria é deles mesmo mas o simples facto de alguém ter escrito isto me enche de felicidade.
Uma saudação a toda a equipa do agiliteiros .com

terça-feira, 4 de agosto de 2009

MONTAGEM DE PISTA

No inicio muitos juízes têm alguma dificuldade na montagem de uma pista.Por vezes o desenho não cabe no local da prova e muitas vezes a pista fica como que torta.Para evitar esses problemas existe um troque bem simples.Não montar a pista em sequência mas sim por sequência de referências.A primeira referencia é sempre a passarela.è importante que ela esteja colocada exactamente segundo o nosso desenho.Depois vamos seguindo outras referências ou sequências.Na figura acima eu indicaria quatro sequências de montagem.
1ª sequência -Como podem ver no desenho eu marquei a posição dos obstáculos 6 - 10 - 12
Então nesta sequência montaria 6 - 10 - 12 - 11
2ª sequência - Montaria o muro ( 18 - 5 )
3ª sequência - Montaria tunel 4 -saltos 3-19 - 2-15 - 1 e 14 Depois 16 - 17 - 20
4ª sequência - Montaria- tunel 7 - 8a - 8b -9 - 13

Por vezes é bom assinalar o centro da pista para ficar mais fácil a distribuição dos obstáculos.
Como disse esta é uma dica para juízes menos experientes.
Experimentem e vão ver que tudo cabe perfeitamente.

terça-feira, 28 de julho de 2009

MONTAGEM DE PISTA - ANGULAÇÕES

Muitas vezes uma pista fica prejudicada por uma má angulação de obstáculos.Na maior parte das vezes sem razão aparente, más angulações tornam a pista travada daquelas que parece que condutor e cão estão sempre em conflito.Ao desenhar a pista e fazendo a sua medição é possível de ver mais ou menos a trajectória do cão.Quantos menos recortes melhor a fluidez da pista.Um dos truques é fazer ângulos entre as interseções dos obstáculos ( linhas prolongadas ) de mais ou menos 90º para cima. Na figura de cima apresento alguns exemplos de como melhorar uma sequência sem a alterar.
Este é um ponto onde os juízes têm de ter atenção de modo a que a pista se apresente fluída e se evitem muitas das vezes acidentes desnecessários.Por falar em acidentes deve de haver algum cuidado na colocação da casa.Embora o regulamento nada fale sobre este assunto sabemos que uma angulação mais fechada e os cães "raspam" o focinho na lateral ao entrar e com isso provocam ferimentos junto da zona ocular.Todo arco da entrada na parte rígida da casa deve estar protegida por material macio de modo a também evitar acidentes.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

PISTAS - GRAUS E DIFICULDADES 2

Para entenderem este post é importante que leiam o anterior.O que aqui apresento jamais é ou será um critica a quem pensar e ou agir de forma diferente mas sim a minha opinião e experiência.Eu também já caí na tentação da armadilha.É a forma mais simples de demonstrar dificuldade principalmente para o grau III.Como em tudo na vida a experiência vai-nos dando segurança e com ela deixamos de estar presos na necessidade de mostrar aquilo que muitas vezes nem nós gostamos.Por isso hoje digo e aconselho os mais novos para que se libertem dessa amarra da dificuldade evidente e partirem para a dificuldade oculta.
Dificuldade evidente-Aquela que qualquer condutor por mais desatento que seja vê.
Dificuldade oculta - Aquela que o condutor terá de estar muito atento no reconhecimento para poder ultrapassá-la.
Na imagem de cima dou alguns exemplos.A,B,C dificuldade evidente e que de certeza trará um bom numero de eliminados.Em D, uma dificuldade oculta,parece fácil mas não é.
Em E uma dificuldade evidente mas que não traz tantos problemas e que pode ser usada.
Claro que são exemplos e cada juiz terá os seus.Trazer todos aqui seria fastidioso,mas talvez assim possa ficar mais claro o que escrevi no post anterior.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

PISTAS - GRAU E DIFICULDADE

Muitos se queixam de não encontrar indicações para os juízes acerca da sua actividade.Temos o regulamento da FCI e as Guidelines que vão saindo ano após ano.Não vou comentar aqui se tudo está correto ou não, ou bem ou mal escrito,mas que está escrito está.Por exemplo no tema de hoje dizem as Guidelines mais ou menos o seguinte:

"Uma pista deve ser projectada e construída de modo que:
-Não contenha armadilhas
-É divertida e prende a atenção dos espectadores
-Possa ser julgada sem problemas
-O traçado é fluido mesmo para classes mais avançadas ( O TSP pode igualmente ser um grau de dificuldade)" fonte Guidelines FCI 2009

Lendo isto pensei em como muita gente está equivocada em relação a pistas e suas dificuldades.Bom antes gostaria de dizer que embora a FCI permita que cada País tenha as suas regras ( exemplo do grau III ) ela mesmo reconhece em seu regulamento apenas o grau I e II ( veja-se o campeonato do mundo aberto a cães do grau II ).Digo isto para que entendam o meu raciocínio.Quantas vezes ouvimos dizer que tal pista é muito fácil para o grau III ?Aí os juízes começam a "ter de inventar" dificuldades de maneira que pareça bem explicito que a pista tem dificuldades para o grau III,incorrendo muitas vezes em um dos pontos que a FCI aconselha a não fazer -conter armadilhas -.Uma coisa é ter exercícios bem montados onde a destreza e treinamento da dupla é posto á prova e outra são as tais "armadilhas" daquelas ou cais ou não cais.Uma pista com "armadilhas" não é divertida para o publico,geralmente é difícil de julgar e o traçado raramente é fluido, ou seja o juiz fica vitima da própria armadilha.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

1000 ACESSOS ULTRAPASSADOS

Quando pensei neste blog jamais prespetivei tanta gente a visitá-lo.É um blog técnico, com algumas curiosidades ligadas ao agility.Falar de regra nem sempre é fácil porque a regra tem sempre alguma parte de interpretação.É essa interpretação que eu tento levar á discussão e aprimoramento.Á uns dias atrás passou de 1000 acessos.Outra coisa que me deixa contente é a diversidade de países que de onde fazem esse acesso.Claro que os de Portugal me deixam sempre muito contente,conheço muita gente do agility de lá , alguns nem tanto e infelizmente nunca fui lá juiz.É o meu país que amo de coração,embora cada vez mais me sinta também Brasileiro.Por falar nisso essa é a minha tristeza os meus colegas Brasileiros não aproveitarem o blog para trocarmos experiências e opiniões.Essa era a ideia principal.Porque será ?Trocar ideias e experiências é tornarmo-nos mais fortes e com isso o agility Brasileiro também o será.Entretanto o meu obrigado a todos os que têm visitado e comentado o blog e prometo continuar a apresentar matérias sobre regras e julgamentos.
Obrigado especial á minha familia por aturar a minha maluquice pelo agility e ao meu grande amigo Luis Narciso meu grande mentor.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

DESTRUIÇÃO DE OBSTÁCULO 2

video

Quando existem vários factores a ter em conta tudo pode acontecer.Este vídeo é do Fabiano.A dupla Vivian com o Elvis.Beijo Vivian e umas festinha nesse louquinho.Bom vamos lá falar sobre isto.Destruição de obstáculo existe sempre que por acção do cão ou condutor um obstáculo deixa de estar na posse de todas as suas funções.No caso concreto da imagem o obstáculo é o numero 1 e numero 20.Ao saltar o Elvis que seguramente deve ter escorregado, ao derrubar a vara derruba a asa direita do salto.A asa não chega a tocar no solo é verdade mas deixa de estar na sua posição inicial.Trata-se do primeiro salto e por isso mesmo passível de algum cuidado na sua reconstrução.Inclusive tenho algumas duvidas se a asa ao se deslocar não parou a foto célula.

Eu marcaria destruição de obstáculo, mas também aceito que na hora do julgamento tivesse ficado alguma duvida pelo simples facto de que a asa não tombou por completo e assim nessa duvida beneficiar a dupla.Temos falado que sempre que por exemplo as laterias de um muro ficarem no mesmo lugar independente de todo o meio tiver caido, o cão pode passar entre as laterais na segunda passagem.Logo aqui estamos QUASE com uma situação identica.

terça-feira, 14 de julho de 2009

DESTRUIÇÃO DE OBSTÁCULO

Muitas pessoas por vezes não entendem o conceito de destruição de obstáculo. O obstáculo está destruído quando por acção do condutor ou do cão este deixa de ter alguma das suas funções iniciais em acção para a continuação da competição.Se um cão tem de passar mais do que uma vez no obstáculo seja por refugo ou por ordem da pista e este não se encontra em condições de ser abordado deve ser considerado destruição.
Algumas pessoas questionam se o obstáculo destruído é o numero 5 e depois apenas o numero 16 ( exemplo da figura ) dá tempo de ser reconstruído e estar em condições normais de ser executado em 16.Parece simples mas não o é.
Uma coisa é os auxiliares de pista levantarem uma barra caída colocando-a no lugar, outra coisa é refazer um obstáculo em que uma ou ambas as laterais do salto estão no chão.
Cada obstáculo tem a angulação que o juiz determinou e só ele tem em mente a angulação .Se um auxiliar faz essa reconstrução sem a supervisão do juiz, podemos ter facilmente a angulação alterada e aí já não é a mesma pista, ( exemplo da figura ).
Logo neste caso o juiz teria de interromper a corrida para poder recolocar o obstaculo para a segunda passagem.
Por isso sempre que um cão tem de repetir o obstáculo e na primeira passagem o destroi se marca eliminação.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Se fosse preciso

Este fim de semana terminou a 1ª Copa Paulista de Agility com etapa dupla.No sábado chuva , muita chuva e sinceramente temi pela "juventude" dos árbitros designados para o evento.Naquele temporal era preciso ler muito bem as angulações , entradas de zonas de contacto, montagem das pistas. O que eles mostraram,pistas muito boas e que proporcionaram uma boa disputa no meio daquela água toda.No domingo o tempo estava bem melhor e as pistas continuaram num bom estilo para as decisões finais.Fluidez bom desempenho na montagem das pistas e bons julgamentos. Então não ouve erros perguntam vocês? Claro que houve,mas eu sempre digo que os melhores juízes são aqueles que erram menos. Estes seis erraram muito pouco Estou feliz com isso pois demonstra que os "jovens" árbitros estão a ouvir os conselhos da Comissão de Arbitragem. Dia 25 vamos ter uma reunião da Comissão de Arbitragem com os juízes.Vamos falar da nossa actividade, das dificuldades de alguns acertos na interpretação de algumas regras e confraternizar em um churrasco.Vai ser uma maneira de nos unirmos ainda mais.
Por falar em união parece que a família de árbitros de agility vai crescer pois temos mais uns sete ou oito interessados em uma nova banca, o que demonstra que a nossa actividade está a ganhar adeptos.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Do meio da pista

Ups ...voltei, mas não vou falar de regras nem de julgamentos.Não me apetece.Apetece-me falar do emaranhado de emoções que o agility por vezes faz.Como competição que é, acende por vezes irrazoablidades, para não dizer irracionalidades que é um pouco forte,que custa um pouco a entender.Em 11 anos de agility acho que posso contar pelos dedos as vezes em que eu ouvi de um condutor após um desaire, pista menos conseguida ou eliminação,que a culpa foi dele.Geralmente em primeiro lugar da desculpa bem sempre o cachorro, depois o juiz seja pela pista seja pelo julgamento, depois, depois bem o piso , as sapatilhas enfim todo o tipo de desculpas que vem a cabeça.O cachorro não se pode defender, o juiz não o faz porque na maior parte dos casos nem fica a saber, o piso diz eu já cá estava,as sapatilhas dizem tu é que me escolhes-te e o resto o resto são balelas.
O agility não é uma ciência,nem matemática.É um esporte, ou actividade canina como eu gosto de dizer, de uma equipa ou dupla.Só que nessa equipa, ou dupla só um é que pensa e desenha a estratégia e o outro não tem direito a opinião.Por vezes vemos uam dupla ser eliminada e o cachorro parece parar como que a dizer, " se me tivesses perguntado eu dizia-te que isto não ia resultar bem".Falta humildade a muita gente para reconhecer o seu próprio erro ou a sua falta de coragem para ir um pouco mais além , arriscar um pouco mais.Sendo assim tão bons porque não o fazem . Porque têm medo do imprevisto, do momento e porque sabem que certezas não existem.
Ora é essa incerteza de que o que deu certo hoje pode não resultar amanhã que fazem do agility ser tão apaixonante, ou existem duplas vencedoras eternas ?

segunda-feira, 29 de junho de 2009

COMBINADO TRIPLO - EU NÃO USO!



Já o disse em anterior post que não utilizo o combinado triplo.A nova regra não dá muita facilidade ao juiz no desenho da sua pista e em muitos casos poderá levar a que haja muitas faltas na abordagem do mesmo. Na figura 1 mostro alguns exemplos em que muitos cães irão fazer faltas. Claro que estou a abordar a categoria standard mas na maior parte dos países usa-se a mesma pista para as três categorias.
Na figura abaixo , figura 2 apresento opções para utilização do combinado utilizando obstáculos anteriores que podem " travar " um pouco o cão com isso obter melhor resultado.
Mesmo assim a opção 3 da figura 2 ainda apresenta um índice alto de probabilidade de acontecer falta no combinado.
Para além do mais vai sempre representar um grande esforço físico e até possíveis lesões ao animal para tentar transpor o combinado. Sou contra esta regra e a favor da posição antiga onde o combinado poderia ter a forma que o juiz entendesse melhor.